NF 4.0 , mudanças principais

A nota fiscal eletrônica 4.0 acarretou e está acarretando algumas mudanças nas empresas.

Quem fabrica e vende precisa ficar atento para as exigências da NFe 4.0
Por conta das mudanças no layot da Nfe 4.0 , é de grande importância contar com a ajuda de um escritório de contabilidade , já que há sempre alterações na tributação.

Uma assessoria contábil capacitada auxilia de forma eficaz no cumprimento da legislação, orientando o negócio para que ele cumpra suas obrigações corretamente.

Alterações principais e Novidades da NFe 4.0

• Alteração de nome do campo “Formas de Pagamento” esta categoria agora é chamada somente “Pagamento”, onde contém o valor do troco. Já o campo “Forma de Pagamentos do Grupo B” não existe mais;
• Duas novas modalidades no campo “Grupo X-Informações do Transporte da NF-e”: o campo aceita o Transporte Próprio por Conta do Destinatário e transporte próprio por conta do remetente;
• Adoção do protocolo TLS 1.2 ou superior : antes o protocolo SSL era o padrão na comunicação, mas agora não é mais. O que passa a valer é o protocolo TLS.12 que tem a finalidade de proteger a comunicação com a SEFAZ;
• Criação do campo “Grupo Total da NF-e”: neste campo, é exibido o valor total do IPI (Impostos sobre Produtos Industrializados), imposto utilizado quando há a devolução de mercadoria por estabelecimentos que não contribuam com essa taxa;
• Criação do campo “Fundo de Combate à Pobreza”: em operações interestaduais ou internas com Substituição Tributária, o novo layout possibilita que o valor referente ao percentual de ICMS seja identificado, com destaque em campo próprio;
• Criação do grupo “Rastreabilidade de produto” : para que seja possível monitorar todos os produtos, a NFE 4.0 deve conter as seguintes categorias : Quantidade de produto no lote; Número do lote do produto; Data de validade e data de fabricação/produção;
• Campo indicador de presença: nesta categoria é possível informar se uma venda foi realizada na loja física (operação presencial) ou fora do estabelecimento – como venda ambulante ou compras online;
• Criação de nova área no campo de “Medicamento”: no caso de medicamentos é obrigatório informar o código da ANVISA na nota. É preciso fazer a alteração cadastro, tornando este campo essencial para este tipo de produto.
• O preenchimento dos valores da base de cálculo e os valores reais são em campos diferentes, sendo apresentados separadamente e não mais somados ao ICMS;
• No campo pICMS deve ser informada somente a alíquota do ICMS, sem o FCP. A alíquota do Fundo de Combate à Pobreza deve ser informada no campo pFCP;
• Se houver substituição tributária na NFe existe um campo onde deve estar o valor da soma do Fundo de Combate à Pobreza com ST.

A nova versão da nota traz mais segurança com relação as informações que são enviadas frequentemente para a SEFAZ.
O objetivo é evitar golpes na hora de emitir as notas fiscais. Do mesmo modo, também há uma preocupação em informar corretamente os impostos pagos para que não haja multas nas empresas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *